Chegou a nossa promoção de Natal! Vai ser a vossa oportunidade de adquirir as novidades de Dezembro com desconto, ou de comprarem prendas de Natal ideais para fãs de BD! E para compor as coisas, além dos nossos descontos de 20% nas novidades, temos algumas oportunidades para compra de packs a preços muito, muito vantajosos, com descontos de 40% e mais! Precisamos de receber as vossas encomendas entre hoje, dia 4 de Dezembro, e Domingo dia 15 de Dezembro!

Quais as condições? São as normais das nossas promoções, mas desta vez sem qualquer obrigatoriedade de comprar livros das novidades:

Estamos prestes a lançar um dos grandes romances gráficos dos últimos anos, e a adaptação de um dos livros mais importantes da literatura brasileira contemporânea: Dois Irmãos, do romancista Milton Hatoum. Convidamos os nossos fãs a verem esta bela entrevista de Hatoum, em que ele fala da família, e dos problemas familiares, como inspiração para a sua obra: “Uma família feliz não pode inspirar um bom romance, porque é preciso ter personagens problemáticos.”

Este romance tem vindo a conquistar gerações de leitores no mundo inteiro desde a sua publicação em 2000. E foi com o mesmo entusiasmo desses leitores que os premiados autores de banda desenhada Fábio Moon e Gabriel Bá, também eles dois irmãos, embarcaram na missão de adaptar a obra de Milton Hatoum como romance gráfico. Ao mesmo tempo que preserva a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento artístico de Bá e Moon. A partir do seu traço, a vida dos gémeos Yaqub e Omar ganha novos contornos épicos. A Manaus de Bá e Moon, feita de um jogo de luz e sombras, acolhe este drama que cruza gerações e, seja nos grandes planos ou nos mais ínfimos detalhes, instila no enredo original de Hatoum uma energia e vitalidade novas.

Vencedor do prémio Eisner para Melhor Adaptação Literária, do prémio Harvey para Melhor Álbum Estrangeiro e do Troféu HQ Mix para Melhor Adaptação.

Lançamento em Dezembro!

O segundo volume de CRIMINAL está a caminho, e ainda há leitores que não conhecem esta magnífica série de uma das maiores duplas de criadores de sempre Ed Brubaker e Sean Phillips, e esta é uma óptima oportunidade para re-apresentar esta série aos nossos fãs.

Existem duplas de criadores que são mais do que a mera soma das suas capacidades individuais, e que se tornam em algo que é uma unidade, uma identidade própria, e o duo Ed Brubaker e Sean Phillips é sem dúvida uma delas. Em pouco mais de uma década transformaram-se em sinónimo de história policial noir em banda desenhada, e tornaram-se na própria definição do género. Mas a sua colaboração vai muito mais longe, as suas obras são muito mais do que simples histórias policiais, e os fãs devem celebrar o facto dessa colaboração durar já há mais de uma década.

The FADE OUT é um dos grandes romances gráficos dos comics contemporâneos, escrito por um dos grandes, ED BRUBAKER, o autor entre outros, de "Capitão América: O Soldado do Inverno", e das séries VELVET e FATALE, esta última desenhada também por Sean Phillips, que também desenhou The FADE OUT.

O que muitos não sabem, é que Brubaker é sobrinho de um dos grandes argumentistas da era de ouro do cinema americano, John Paxton, que foi responsável por inúmeros guiões de Hollywood nos anos 40 e 50, nomeado para um Óscar pela escrita de Encruzilhada (Crossfire, com Robert Mitchum), e um dos mais conhecidos cultores do género noir. Isto ajuda a explicar muito do gosto de Brubaker pelo thriller, pelo policial noir e pelos pulps, e também está na origem de The FADE OUT, que se inspirou muito na sua vida, como o próprio Brubaker nos explica no prefácio ao livro, que aqui reproduzimos.

Em termos editoriais a banda desenhada nunca viveu um período tão interessante, com expansão (em número e qualidade) de autores nacionais, mas sobretudo com o trabalho da Levoir e G. Floy Studio em termos de obras de autores estrangeiros, oferecendo uma excelente relação qualidade/preço. Não que todas sejam excelentes, mas ajudam a criar um fundo de qualidade elevada, a partir do qual a excelência é mais fácil de reconhecer, e tem outro valor. Apesar de não apreciar o anglicismo das questões de “género”, uma linha interessante relaciona-se com séries protagonizadas por mulheres, escritas e desenhadas por homens, editadas pela G. Floy Studio. Obras que procuram, não só contar histórias convincentes, mas surpreender com misturas de referências que podem não ser óbvias, e que enriquecem (ou baralham) o rumo e ritmo narrativo, e as expetativas do leitor.